Comida & Bebida

Mostarda Doce Bávara (Bayerischer Süßer Senf)

Sim, ela é doce e Sim, ela é uma delícia!
Muito apreciada com Weißwurst (salsicha branca, aquela do café da manhã bávaro – saiba mais aqui) e, portanto, é frequentemente descrito como “Weißwurstsenf” ou mostarda de salsicha branca.
No entanto, é bom com outros tipos de salsicha e com Leberkäse. 
Leberkässemmel com mostada doce. Combinação perfeita!
 De vez em quando, também é apreciada pura com pão. Eu faço isso direto com o Brezn (pretzel bávaro. Fica divino)
 
Por aqui em Munique é bastante comum encontrar a mostarda doce nos restaurantes e lanchonetes bávaras. Nos supermercados são figurinhas fáceis de encontrar.
Dentre as lembranças que levo daqui da Bavária, esta com certeza é a que faz mais sucesso!
 
 
História
O nascimento da mostarda de Weißwurst ocorreu em Munique do século 19 com a criação da mostarda doce atribuída a Johann Conrad Develey. 
Johann Conrad Develey, em toda a sua glória…
Este empresário veio da antiga família Hugenot (de Veley) e veio para Munique da Suíça francesa, via Lindau e Augsburg, onde completou o certificado de saída da escola. 
 
Naquela época, o negócio de mostarda na capital bávara estava quase que completamente em mãos femininas. As mulheres de Munique as faziam em pequenas instalações e como uma segunda ocupação. 
 
Em 1845 Devely iniciou uma fábrica de mostarda na Kaufingerstraße, na entrada da Augustinerstraße, ou seja, no centro de Munique, que produziu mostarda na melhor base artesanal, mas com material já processado industrialmente. Seus produtos rapidamente ganharam grande estima. As ofertas iniciais incluíam mostardas médias e fortes de tipo francês.
No entanto, o proprietário da empresa era um pensador a frente de seu tempo e que gostava de experimentar e, sendo assim, produzia continuamente novas variações e as desenvolvia até serem completamente perfeitas. Em pouco tempo percebeu que uma doce variação de mostarda estava faltando no mercado.
 
Assim, em 1854, Johann Conrad Develey adicionou pela primeira vez vinagre, açúcar e especiarias a mostarda amarela e marrom e ferveu a mistura. O açúcar foi caramelizado e isso deu à mostarda um excelente sabor adocicado. Misturados e cozidos com água, sal, cebolas, cravo, uma pequena pimenta de Jamaica e noz-moscada produziram uma mostarda que ninguém havia provado até então. 
Mais tarde, os grãos de mostarda não foram mais fervidos, mas em vez disso, foram adicionados em sua forma natural. 
O toque final na receita de sua nova descoberta foi misturar açúcar de confeiteiro marrom.
E assim nasceu a mostarda doce: uma especialidade de Munique que ganha fama mundial cada dia mais!
 
 
 História retirada do site: www.bavaria.by
 

Deixe aqui seu comentário